Estamos vivendo um momento divisor de águas para a contabilidade, especialmente no Brasil, a transferência de informações entre o governo e o contribuinte tende a se tornar completamente online, digital, e acontecer em tempo real. A maioria das informações das empresas também já existe apenas em formato digital. Isso tudo abre oportunidades para níveis de automação nunca antes vistos, os sistemas de automação contábil correm para suprir as demandas fiscais mas deixam de lado a essência da contabilidade.

O verdadeiro profissional de contabilidade sabe que seu trabalho não é apenas processar dados e transmitir ao governo. Ainda assim, é como muitas pessoas enxergam.

As várias faces da automação contábil que iremos debater nesse post são as seguintes:

  • A automação contábil por atacado
    • Os serviços de contabilidade por atacado
    • A automação contábil por atacado e a ciência contábil
  • A automação contábil como forma de empoderamento
  • A nova face da automação contábil

A automação contábil por atacado

Nos últimos anos com o aumento das exigências fiscais do governo, principalmente com o projeto SPED, as demandas fiscais viraram prioridade máxima para as software house do mercado de automação contábil.

Essas empresas precisaram criar as pressas inúmeras formas de receber, processar e gerar dados em seus sistemas para auxiliar o contador e as empresas a sofrerem menos com as exigências do fisco. Uma infinidade de parametrizações foram criadas e os sistemas tornaram-se verdadeiros objetos de estudo dos contadores – se você quiser trabalhar com contabilidade, primeiro precisa conhecer os sistemas.

O resultado que podemos observar hoje são sistemas indispensáveis, que atendem a todos os contadores, mas são tecnologicamente ultrapassados, com muitos processos e muita necessidade de parametrização já que atendem a todo o extenso mercado de contabilidade.

Os serviços de contabilidade por atacado

Se aproveitando da percepção de que o contador é um processador de dados do governo, surgiu no mercado um modelo de negócio que podemos chamar vulgarmente de contabilidade por atacado.

A contabilidade por atacado é um serviço de contabilidade comandado por um software que substituí o contador em suas tarefas de processar os dados recebidos das empresas e transmiti-los ao governo.

Nesse modelo, o serviço de contabilidade é reduzido às suas funções mais elementares, empacotado, e vendido por um valor muito baixo. É a comoditização do trabalho do contador.

O resultado é que passa a ter pouca diferença entre o trabalho de um contador e de um atendente de telemarketing, pois o trabalho do mesmo fica reduzido a receber tarefas de um computador e repetir para todos os clientes, ad nauseam.

A automação contábil por atacado e a ciência contábil

A automação contábil por atacado, seja em sua forma de software house ou serviços de contabilidade por atacado, apesar de possuir a maior fatia do mercado de automação contábil ainda não trouxe nada inovador para a ciência contábil e a essência do trabalho do contador.

Vejamos um resumo das duas modalidade de automação debatidas até o momento:

  • Os sistemas de contabilidade conhecidos do mercado mantém o seu foco principal nas demandas fiscais e jogam para contabilidade esses dados através de parametrizações estáticas;
  • A contabilidade por atacado visa atender as demandas fiscais através da automação de tarefas repetitivas e de relacionamento com seus clientes, o foco está em atender as demandas do fisco, sejam elas fiscais, contábeis ou trabalhistas.

Percebemos que a ciência contábil e o método de partidas dobradas é um segundo interessado, uma mera obrigação da automação contábil por atacado.

A automação contábil como forma de empoderamento

A mesma automação que está reduzindo a contabilidade a algo estático e desinteressante é única que pode resgata-la da obsolescência.

Se perguntar a um contador experiente ou entusiasta qual é a função da contabilidade ele provavelmente irá responder que é:

Gerar informações confiáveis na representação do patrimônio e análise das causas das mutações.

Mas como gerar informações confiáveis se a contabilidade é apenas uma parte do processo de demandas fiscais, uma segunda interessada da informação, e o pior, a última a saber?

A resposta está em uma mudança de paradigma, em resgatar a essência da contabilidade como meio de informação confiável, trazer o contador para o centro da sua própria automação e valorizar a linguagem contábil.

A nova face da automação contábil

A dificuldade encontrada pelo contador em valorizar a linguagem contábil e a ciência da informação está nos sistemas de contabilidade conhecidos do mercado que são fechados e não exploram todo o potencial da nuvem, além de estarem tecnologicamente ultrapassados.

Felizmente, há outro caminho que pode ser traçado: trazer a automação como novas ferramentas de trabalho para o contador. O profissional contábil deve ter acesso a um arsenal de ferramentas diversas e integráveis, que lhe permitam prestar seu serviço de maneira eficiente, e criando seu próprio diferencial. Uma boa solução de contabilidade deve ser operada pelo contador ou escritório de contabilidade em um ambiente colaborativo, integrado, rápido, seguro e personalizado.

A boa notícia é que existem muitas ferramentas boas no mercado que, apesar de desconhecidas da grande maioria dos contadores, quando bem utilizadas, podem ajudá-lo a ganhar muito tempo. Essas ferramentas se dispõe a resolver problemas específicos do infinito universo contábil e estão abertas a nuvem para integrar-se com outras ferramentas.

Mas como integrar as melhores ferramentas sem empacotá-las em um único produto?

Assim como resgatar a essência do trabalho do contador, aqui a resposta também está em uma mudança de paradigma, na abertura e na comunicação entre sistemas via nuvem, cada um com seu propósito mas colaborando entre si na linguagem contábil.

Continue lendo em: Surge o primeiro Ecossistema em Nuvem para o contador do futuro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *